Homens aderem à moda da fita isolante para reforçar marca de sunga no verão

Por redação BD - Postado quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

Foto: Reprodução
A busca pelo bronzeado perfeito fez as mulheres aderirem à moda do biquíni de fita isolante. Até a cantora Anitta vestiu o acessório durante lançamento do clipe "Vai, malandra", no final de 2017. No verão deste ano, chegou a vez de os homens embarcarem na novidade. Despidos de vergonha e deixando o preconceito de lado, eles se expõem ao sol envolvendo com fita as coxas e a cintura.

Pioneira no ramo do bronzeado na laje, a esteticista e empresária Erika Romero Martins, a Érika Bronze, de 36 anos, consolidou seu negócio em Realengo, na Zona Oeste do Rio. Ela teve a ideia de ganhar dinheiro quando, aos 15 anos, suas primas e amigas a invejavam pela habilidade em conseguir uma indefectível marca de biquíni, com ajuda de um esparadrapo. Érika conta como começou a atrair a clientela masculina e que tipo de marca eles pedem.

"Virou uma febre os homens também querendo uma marquinha perfeita por causa do clipe 'Vai, malandra'. Os homens estão buscando a marquinha perfeita. Eles não querem mais aquela marquinha de sunga molhada, de sunga esfumaçada. Eles querem aquela marquinha bem perfeita, igual à das mulheres. Botamos a fita na virilha, na cintura... E eles são detalhistas. Eles querem o bumbum também bem certinho", explica.

Segundo Érika, a exposição é controlada. São 40 minutos de frente e mais 40 de costas. As "bombeiras", como são chamadas as assistentes da empresária, molham o corpo dos clientes e oferecem água. O preço para as meninas é de R$ 70 e para os meninos, R$ 50.

"Aqui é muito mais rápido você conseguir aquela marquinha perfeita, um bronzeado maravilhoso. Porque são 40 minutos que a pessoa fica no sol, com uma pessoa molhando, outra dando água o tempo todo para não desidratar. Cuidamos mesmo da pessoa, uma passa protetor solar, outra dá aguinha, a outra molha, é assim", detalha.


*G1
Tecnologia do Blogger.